TERTÚLIA

A Consciência do Corpo | Do Palco para a Vida


A conversa que propomos, parte da nossa experiência, ao longo dos anos, do trabalho do corpo. Um corpo performativo, criativo, presente, em constante aprendizagem e mudança.

A nossa proposta, aberta ao público, pretende reflectir em conjunto acerca das possibilidades, diríamos infinitas, que os nossos corpos têm.

Partimos do corpo criativo, que alberga em si estas inúmeras possibilidades, para partilhar a potencialidade que o movimento, as artes performativas e também as terapias somáticas têm a oferecer a qualquer área do conhecimento. Acreditamos que a partir do corpo, que é uno com a mente, podemos potenciar qualquer área de atuação.

É com estas premissas como ponto de partida para um diálogo que se estende a todos os interessados, que lançamos o desafio de participarem na nossa conversa.

17 MAIO | 18H00

1 hora

MODERAÇÃO


Vera Freire
Vera Freire

Licenciada em Biologia e Geologia e mestre em Arquitetura Paisagista. Iniciou a sua actividade teatral em 2010, no GrETUA - Grupo Experimental de Teatro da Universidade de Aveiro, quando ingressou na faculdade onde permaneceu durante 4 anos. Em Lisboa, no final de 2016, integrou o TUT - grupo de teatro académico da ULisboa, onde actualmente participa no projecto de Teatro-Ciência. Participou em diversos festivais de teatro académico, como o FATAL, MITEU, festival de teatro da Covilhã e outros eventos de teatro. Em 2019, co-criou a primeira peça de teatro infantil do FATAL, com Raquel Barata, “Da terra, vida verde nasce”.

ORADORES


Sofia Soromenho
Sofia Soromenho

Mestre em Performance Artística/Dança pela Faculdade de Motricidade Humana, licenciada em Fisoterapia pela ESSA e em Dança/Espectáculo pela Escola Superior de Dança (IPL). Bolseira (BGCT) no INET-md desde 2019. Colabora com o Jornal de Letras como crítica de Dança desde 2013. Foi docente na ESTAL (2012-17) onde leccionou as seguintes disciplinas: Corpo e Processos de Criação, Treino Técnico do Performer e dirigiu a criação do espectáculo dos finalistas da licenciatura com a peça [para]grafo. Trabalhou como intérprete com diferentes coreógrafos independentes e entre 2012 e 2017 foi intérprete da CIM em Edge. Como coreógrafa destaca 2º Parágrafo (2015). Colabora com artistas plásticos na área da performance nomeadamente com Fiumani.

Bernardo Gama
Bernardo Gama

É Master Trainer do Método Gyrokinesis®, instrutor e pré-formador do Método Gyrotonic®( 2002), professor de movimento, performer e bailarino. Teve uma extensa carreira na dança, atuando internacionalmente em companhias como Cullberg Ballet (Suécia), Ballet Gulbenkian (Portugal), Grupo Corpo (Brasil) entre outras. Depois da extinção do Ballet Gulbenkian envolveu-se em diversos projetos e formações de dança inclusiva. Ao longo dos anos esteve envolvido no ensino do movimento tanto no campo artístico como terapêutico. Lecionou na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa, Pesquisa Coreográfica e Dança Contemporânea. Foi professor de Dança Contemporânea no Chapitô durante vários anos. É Mestre em Dança / Performance Artística pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa. A sua abordagem do método Gyrotonic Expansion System® é baseada fortemente no aspecto sensorial e é influenciada por estudos em anatomia do movimento, Cadeias Cinéticas, Método Meziéres e Psicoterapia Corporal assente no trabalho de Wilhelm Reich, um pioneiro da conexão mente-corpo. Atualmente co-coordena o Espaço Equilibrium, centro dedicado ao movimento e bem-estar em Lisboa. Integra, no momento, o projeto "VelhⒶs" espetáculo com coreografia de Francisco Camacho com intérpretes acima dos 50 anos.

Ana Rita Barata
Ana Rita Barata

Nasceu em Paris, em 1972. Estudou no Conservatório de Dança de Lisboa e no European Dance Development Centre em Arnhem, Holanda. Enquanto intérprete, trabalhou com diversos coreógrafos como Wim Vandekeybus, Steve Paxton, Samuel Louwick, Carolyn Carlson, João Fiadeiro e Joana Providência. Desde 1994, como coreógrafa e directora artística da Vo’Arte, desenvolve vários projectos transdisciplinares com Pedro Sena Nunes junto de diversas comunidades. Programa desde 2010 o InArt – Community Arts Festival, iniciativa inédita em Portugal, com diversas propostas artísticas que revelam o potencial agregador e inclusivo da arte. Participou como comissária de Dança do Projeto Saúde Mental e Arte do Programa Nacional para a Saúde Mental da Direcção-Geral da Saúde. É co-fundadora e directora artística da CIM – Companhia de Dança desde 2007. Dirige o projecto Geração Soma no âmbito do programa PARTIS – Práticas Artísticas para a Inclusão Social, co-financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian - Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano. Frequenta o mestrado de Comunicação Acessível do Instituto Politécnico de Leiria.