GATHERING

What remains of Academic Theatre?


The main purpose of an archive is to ensure that memory lives on. An archive entails a physical space with preservation conditions for different materials.

Documents, figurines and sceneries are some of the elements that sustain the theatrical practice. In 2019, in the scope of 20th edition of FATAL, during a gathering inspired by the theme, some questions arose:

  • How do Academic Theatre groups preserve their legacy?
  • Is the Academic Theatre memory compromised?

We looked for answers at portuguese University Theatre groups, through a questionnaire that allowed the gathering of concrete data about the existence (or lack thereof) of these archives, as well as the materials that they are made of and how they are stored and catalogued.

During this session, a first presentation of the gathered data will take place, counting on the contribution and participation of the groups elements of the theatre and researchers Ana Bigotte, Ricardo Seiça and Margarida Adónis.

Watch live:
FACEBOOK Live Adicionar à agenda

18 MAY | 18H00

1 hora

MODERATOR


Maria João Fernandes
Maria João Fernandes

Técnica Superior no Departamento de Relações Externas e Internacionais - Núcleo de Programação Cultural e Ligação à Sociedade, Reitoria da Universidade de Lisboa.
Produtora Executiva do FATAL, desde 2018.

GUEST SPEAKERS


Margarida Adónis Torres
Margarida Adónis Torres

Degree in Theatre/Actors from the Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto. Specialisation in Dramatic Expression and Theatrical Creating in Education (ESMAE/ESE), Master’s degree in Sociology of Education from ISCTE and Doctoral Degree in Contemporary History with the thesis "Percursos do Teatro Universitário em Portugal (1974/1994)" ("Pathways of University Theatre in Portugal [1974/1994]") from The Faculty of Arts and Humanities of the University of Coimbra. She has, since 2000, taught at the Escola Superior de Educação de Coimbra courses in the area of Theatre in various licenciatura and master’s degrees. She is a researcher at the Centre of Interdisciplinary Studies of the 20th Century — University of Coimbra (Portugal).

Ricardo Seiça
Ricardo Seiça

Ricardo Seiça Salgado é antropólogo e performer de formação. Investigador integrado e contratado no CRIA-UC (Centro em Rede de Investigação em Antropologia – Universidade de Coimbra), explora a contaminação entre a etnografia e as metodologias teatrais numa perspetiva de ensaiar ferramentas novas para colocar ao serviço de investigações-ação. A sua área de intervenção é a antropologia, a política, as artes performativas e a educação, explorando o domínio da metodologia, do jogo e da resistência. Doutorado em Antropologia no IUL-ISCTE, faz uso das lentes dos estudos de performance. Recentemente começou a lecionar em diferentes cursos da Universidade de Coimbra, em antropologia e estudos artísticos e deu aulas na ESTAL. É cofundador do grupo de investigadores e artistas, baldio – estudos de performance. Como performer tem desenvolvido várias performances interdisciplinares, tendo formação em várias metodologias teatrais.

Ana Bigotte Vieira
Ana Bigotte Vieira

Faz parte da equipa do Teatro do Bairro Alto como programadora de discurso. Visiting Scholar na NYU de 2009 a 2012, licenciou-se em História Moderna e Contemporânea, especializando-se em Cultura Contemporânea e em Estudos de Teatro. A sua tese de Doutoramento recebeu uma Menção Honrosa em História Contemporânea pela Fundação Mário Soares. É co-fundadora de baldio | Estudos de Performance e dramaturgista. A sua investigação tem incidido sobre a relação entre experimentalismo nas artes e as transformações culturais e urbanas. Traduz teatro e filosofia.

Diogo Figueiredo
Diogo Figueiredo

Músico, Técnico, Performer e Professor. Como membro e dirigente do CITAC (2014- ... ) entra no contexto da interpretação, produção e programação teatral, onde realiza várias performances e colaborações. São de destacar REORG, encenado por Rodrigo Santos (2016) e Os Sapatos (2017), encenado por Cheila Pereira e Margarida Cabral (2017), ambas peças vencedoras do “1º prémio cidade de Lisboa” do festival FATAL. Atualmente ocupa o cargo de tesoureiro no organismo, tendo feito parte do Conselho Fiscal por 5 anos.

Elara Miller
Elara Miller

Atriz, brasileira, nascida no Amazonas. Licenciada em Estudos Artísticos pela Universidade de Coimbra, envolveu-se desde cedo na cena artística conimbricense, chegando, em 2018, até o CITAC. Neste organismo, participou na criação de diversas peças e performances, destacando-se "Alba. E nela é que espelhou o céu", dirigida por Matilde Javier Ciria, e "Na Terceira Margem, sem vista para o rio", com encenação de Daniela Cruz. Hoje, atua no cargo de vice-presidente do CITAC.

Inês Pinheiro Torres
Inês Pinheiro Torres

29 anos, nascida e residente no Porto. Sócia do TUP - Teatro Universitário do Porto desde 2018, membro da direção desde 2019. Licenciada e Mestre em Educação Física na FADEUP, atualmente conjugando a carreira de professora de E.F. e Artes Marciais com iniciação de carreira artística como intérprete.

Alexandra Almeida
Alexandra Almeida

28 anos, nascida e residente no Porto. Licenciada em Cinema - Realização e trabalha na área de Produção e Audiovisual na Orquestra Jazz de Matosinhos. Atualmente está a colaborar com a associação PELE no projeto ENXOVAL e encontra-se também a realizar o documentário sobre a história do TUP - Teatro Universitário do Porto.

Júlio Martín da Fonseca
Júlio Martín da Fonseca

Doutor em Artes pela Universidade de Lisboa, com a tese Artes performativas: formação, informação e transformação :uma visão transdisciplinar de um estudo de caso.
Actor, encenador, investigador e professor, é desde 2008 diretor artístico do TUT - Teatro Académico da ULisboa, a que pertence desde a sua fundação. Como Coordenador e investigador do GECAPA – Gabinete de Estudos de Cultura, Artes Performativas e Audiovisuais do CLEPUL, pode-se destacar a organização do I Colóquio Internacional – A Inter e a Transdisciplinaridade nas Artes Performativas e Audiovisuais, em 2014, e as I Jornadas de Investigação Artística Transdisciplinar e Arts-Based Research, em 2016, na Faculdade de Letras da ULisboa.
Como actor e encenador tem trabalhado com diversos grupos, é membro do Teatro Maizum, e tem participado em variadíssimas produções de Teatro, Dança, Ópera, Televisão e Cinema, em Portugal, Espanha, França, Inglaterra e República Checa.